Saúde do fígado é essencial para manutenção da produtividade em frangos de corte, afirma especialista da MCassab

“A alta dos custos de produção dos frangos, puxada pelo milho e a soja, nos leva a buscar estratégias de redução de despesas, mantendo a mesma eficiência. Temos de nos adequar ao momento, mantendo a produtividade, com a pressão pela redução do uso de antimicrobianos e respeitando o bem-estar animal”, recomenda o zootecnista Bruno Amorim, coordenador de produtos na MCassab Nutrição e Saúde Animal, que discutiu o tema “O efeito da saúde hepática no desenvolvimento e desempenho das aves”, no 11º Encontro de Atualização Técnica da Avicultura Paraibana (ATUAV).

“É preciso sempre fomentar o tripé da produção animal, formado por genética, nutrição e saúde. E, especificamente em relação à saúde, ter um olhar especial para o fígado”, explica o especialista. “O fígado desempenha importantes funções, sendo essencial para a manutenção do desempenho produtivo das aves”, complementa. Entre suas funções, o órgão armazena energia na forma de glicogênio; atua no metabolismo de nutrientes, como carboidratos, lipídeos e proteínas; e ajuda a filtrar, processar e eliminar toxinas produzidas pelo organismo ou provenientes do ambiente.

O zootecnista da MCassab chama atenção para os desafios hepáticos na avicultura, como a esteatose hepática, que, embora possa não estar associada a uma doença, causa prejuízos devido ao acúmulo de gordura no fígado. “As micotoxinas e suas interações também causam efeitos deletérios, principalmente quando associado ao fígado com maior acúmulo de gordura. Para solucionar tais problemas, deve-se estar atento à correta formulação da dieta, com níveis adequados do nutrientes atendendo a todas as necessidades das aves sem que haja excesso.

“Além de uma boa formulação, temos de pensar em todo o processo de produção, com a adoção das Boas Práticas de Fabricação (BPF). É preciso lembrar que todos esses cuidados impactarão, positivamente, na saúde hepática das aves.

Como ferramenta para auxiliar na melhor saúde hepática, podemos utilizar aditivos como a silimarina, importante hepatoprotetor; metionina e colina, doadores do grupo metil, que também ajudam na metabolização e melhoria da saúde hepática; os adsorventes, que contribuem para diminuir o impacto das micotoxinas no organismo animal. Um novo aditivo que está ganhando destaque são os sais biliares, que melhoram a digestibilidade dos nutrientes e aumentam a proteção hepática estimulando a produção de enzimas que atuam no processo de detoxificação do fígado”, explica Bruno Amorim.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine a nossa newsletter.

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Revista AviSite

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

POR DATA:

Busca por palavra chave ou data

POR DATA:
OvoSite
PecSite
SuiSite

Revista AviSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

logo (1)

Na 38a edição da Conferência FACTA 2021, dois dos quatro prêmios José Maria Lamas da Silva, concedidos para os melhores trabalhos científicos nas áreas de Produção e Outras Áreas, utilizaram modalidades de inteligência artificial com modelos fuzzy e mineração de dados em Avicultura de Precisão. Página 32.

Capturar-2

Encontrar com rapidez e precisão o ponto ideal de atuação economiza tempo e dinheiro e faz com que as empresas percebam rapidamente o retorno positivo das estratégias definidas e ações corretivas adotadas. Página 22.

Capturar-3

Em entrevista exclusiva à Revista do AviSite, Ivan Siqueira, diretor do negócio Aves Pesadas da Seara conta como a empresa está priorizando itens de maior valor agregado e dá detalhes sobre os passos da empresa para o segundo semestre de 2021.

Capturar-4

Você sabia que pintainhos possuem bactérias no sistema digestório antes mesmo de eclodirem? Para entender de onde vêm as bactérias nos pintainhos recém eclodidos, é importante compreender as diversas possibilidades de colonização bacteriana precoce. Apesar do que muitos acreditam, os ovos férteis, mesmo passando por diferentes formas de higienização e desinfecção, não são estéreis. Página 54.

Capturar-5

A cadeia da produção animal está novamente colocada diante do desafio do aumento de custos de matérias-primas em várias frentes. O milho chama atenção, mas soja e os micro ingredientes também encareceram, tanto pela quebra de safras, entre outros fatores, quanto pelo aumento do dólar. Se a alta de custos dos ingredientes é uma realidade, a tecnologia pode apontar caminhos. Página 36.

Capturar-6

Os carboidratos representam a principal fonte de energia na alimentação animal. Eles são encontrados principalmente em cereais ou subprodutos de cereais. Contudo, além do amido, os principais carboidratos ricos em energia, os cerais contém polissacarídeos não amiláceos (PNAs) ricos em energia, os cerais contém polissacarídeos que não são facilmente digeridos no intestino delgado de aves e suínos. Página 50.

Capturar-7

O custo das matérias-primas tem impactado no aumento do custo das rações de frangos de corte, sendo que, o potencial de aproveitamento dos nutrientes das rações pode ser melhor explorado com o uso de estratégias capazes de otimizar a digestibilidade e a absorção destes nutrientes, garantindo assim, a redução do custo final das formulações e/ou otimização do potencial genético das aves. Página 60.

Capturar-8

Quem se dedicou à tarefa de analisar os balanços das duas principais empresas do setor no segundo trimestre de 2021 deve ter notado que, embora fortes concorrentes entre si, ambas apresentaram pelo menos um argumento em comum para justificar os fracos resultados do período: o encarecimento do custo de produção naquele que, provavelmente, é o momento mais difícil e desafiante da economia e do consumidor brasileiro. Página 62.

Open chat
Fale agora no WhatsApp