Cursos na Dália Alimentos voltam a acontecer para aprimoramento em ferramentas de qualidade

Dália possui 29 Grupos de Controle da Qualidade ativos

Foi realizado no dia 11 de novembro o Curso PDCA/MASP e Ferramentas da Qualidade, direcionado aos funcionários que fazem parte dos Grupos de Controle da Qualidade (GCQs). Com carga horária de oito horas, foi ministrado pela palestrante Ana Giovanoni, do Grupo Giovanoni de Lajeado.

A capacitação foi direcionada aos novos e aos componentes que ainda não haviam participado, estendo também a integrantes que participaram como forma de reciclagem. Ana explicou a metodologia utilizada para a análise e solução de problemas, a Metodologia para a Análise e Solução de Problemas (MASP), dividida em oito fases e aplicada em conjunto ao ciclo PDCA, método de gestão para a melhoria contínua e otimização dos resultados.

Todos os participantes também foram orientados sobre uso das Ferramentas da Qualidade, técnicas inclusas ao método. Conforme o supervisor da Qualidade, Gianmarco Barzotto, devido à pandemia, os GCQs reduziram as atividades, mas dos 32 grupos existentes, 29 estão ativos e retomando as atividades gradativamente, sendo que alguns possuem trabalhos concluídos.

Anualmente, a Dália Alimentos realiza o Seminário dos GCQs, com a apresentação e premiação em dinheiro para o grupo com os melhores trabalhos. Tão logo haja a retomada dos eventos, a cooperativa voltará a promover o evento. “É imprescindível que todos os GCQs se mantenham ativos, pois o trabalho realizado pelas equipes, como já demonstrado, são de enorme importância nos mais diversos aspectos para a empresa e de igual relevância para o crescimento e desenvolvimento dos funcionários envolvidos”, ressalta Barzotto.

Participantes

Participaram os funcionários Leonardo Segatto, Gabriel Moretto, Guilherme de Freitas, Dabiane Freitas Kaulfuss, Luciana De Souza, Gabriel Invernizzi, Cleverton dos Santos, Alana Uebel, José Luis Hickemann, Guilherme Resmini, Tatiane Rodrigues, Kevin Gianesini, Yago Machado, Marcelo Farias, Luis Felipe Cardoso e Larissa Cappellari. Todos fazem parte dos seguintes GCQs: Industrialização, Embalagem e Limpeza Noturno, Industrialização Diurno e Manutenção Frigorífico (Divisão Produtos Suínos); Grãos e Rações, Suinocultura e Gado Leiteiro (Divisão Produção Agropecuária); Supermercado Arroio Do Meio, Supermercado Encantado e Agropecuárias (Divisão Varejo); Indústria Leite em Pó (Palmas) e ETE e Apoio (Divisão Produtos Lácteos); Laboratórios Matriz (Divisão Controle da Qualidade); Comércio, Marketing e Logística (Divisão Carnes e Derivados) e Setor Pessoal e SESMT (Controller).

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Nunca perca nenhuma notícia importante. Assine a nossa newsletter.

NOSSOS PARCEIROS

Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas

Últimas Notícias

Revista AviSite

Últimas Notícias

Busca por palavra chave ou data

POR DATA:

Busca por palavra chave ou data

POR DATA:
OvoSite
PecSite
SuiSite

Revista AviSite

CONFIRA OS DESTAQUES DA NOSSA ULTIMA EDIÇÃO

logo (1)

Na 38a edição da Conferência FACTA 2021, dois dos quatro prêmios José Maria Lamas da Silva, concedidos para os melhores trabalhos científicos nas áreas de Produção e Outras Áreas, utilizaram modalidades de inteligência artificial com modelos fuzzy e mineração de dados em Avicultura de Precisão. Página 32.

Capturar-2

Encontrar com rapidez e precisão o ponto ideal de atuação economiza tempo e dinheiro e faz com que as empresas percebam rapidamente o retorno positivo das estratégias definidas e ações corretivas adotadas. Página 22.

Capturar-3

Em entrevista exclusiva à Revista do AviSite, Ivan Siqueira, diretor do negócio Aves Pesadas da Seara conta como a empresa está priorizando itens de maior valor agregado e dá detalhes sobre os passos da empresa para o segundo semestre de 2021.

Capturar-4

Você sabia que pintainhos possuem bactérias no sistema digestório antes mesmo de eclodirem? Para entender de onde vêm as bactérias nos pintainhos recém eclodidos, é importante compreender as diversas possibilidades de colonização bacteriana precoce. Apesar do que muitos acreditam, os ovos férteis, mesmo passando por diferentes formas de higienização e desinfecção, não são estéreis. Página 54.

Capturar-5

A cadeia da produção animal está novamente colocada diante do desafio do aumento de custos de matérias-primas em várias frentes. O milho chama atenção, mas soja e os micro ingredientes também encareceram, tanto pela quebra de safras, entre outros fatores, quanto pelo aumento do dólar. Se a alta de custos dos ingredientes é uma realidade, a tecnologia pode apontar caminhos. Página 36.

Capturar-6

Os carboidratos representam a principal fonte de energia na alimentação animal. Eles são encontrados principalmente em cereais ou subprodutos de cereais. Contudo, além do amido, os principais carboidratos ricos em energia, os cerais contém polissacarídeos não amiláceos (PNAs) ricos em energia, os cerais contém polissacarídeos que não são facilmente digeridos no intestino delgado de aves e suínos. Página 50.

Capturar-7

O custo das matérias-primas tem impactado no aumento do custo das rações de frangos de corte, sendo que, o potencial de aproveitamento dos nutrientes das rações pode ser melhor explorado com o uso de estratégias capazes de otimizar a digestibilidade e a absorção destes nutrientes, garantindo assim, a redução do custo final das formulações e/ou otimização do potencial genético das aves. Página 60.

Capturar-8

Quem se dedicou à tarefa de analisar os balanços das duas principais empresas do setor no segundo trimestre de 2021 deve ter notado que, embora fortes concorrentes entre si, ambas apresentaram pelo menos um argumento em comum para justificar os fracos resultados do período: o encarecimento do custo de produção naquele que, provavelmente, é o momento mais difícil e desafiante da economia e do consumidor brasileiro. Página 62.

Open chat
Fale agora no WhatsApp