Edição 100
10 Anos
Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Aplicativos
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Links
Trabalhos Técnicos
Vídeos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Classificados
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Assine já
Sexta-feira, 17/11/2017
Siga-nos:
Notícias Clippings Informativo Semanal Informativo Diário
NOTÍCIAS
Carne de frango: os importadores do Brasil até outubro




Campinas, 10/11/2017 | 08:37

Fonte: AviSite | Autor: Redação

Ainda que em 2017 a China venha reduzindo suas compras em relação ao ano passado, o mercado chinês permanece como o principal importador da carne de frango brasileira.

Nos 10 meses decorridos entre janeiro e outubro de 2017, Arábia Saudita, Japão e China foram, pela ordem, os três principais importadores do Brasil.

Neste caso, a China retornou ao terceiro posto, perdendo o segundo lugar que havia ocupado no mesmo período de 2016. Tudo porque reduziu suas importações em mais de 20%, adquirindo quase 90 mil toneladas a menos.

Ainda assim, o mercado chinês (China + Hong Kong) permanece como o principal importador da carne de frango brasileira. De um lado, porque as exportações para a Arábia Saudita recuaram 18% - foram 111.473 toneladas a menos – e, de outro lado, porque a destinação para Hong Kong registrou aumento superior a 2%

Feitas as contas, o volume de carne de frango destinado ao mercado chinês chegou às 545.203 toneladas, resultado que supera em quase 8,5% o total destinado à Arábia Saudita e corresponde a 15,13% do total exportado pelo Brasil (ou 16,11% da receita cambial do período).

Note-se que, entre os 10 principais importadores, além de Arábia Saudita e China, apenas a Holanda reduziu suas importações. E esse número restrito combinado com o crescimento excepcional das exportações para a África do Sul, Egito e Iraque garantiu crescimento (de 1,06%) no volume exportado para esse grupo. Na receita, o aumento foi de 8,5%.

Já as exportações para os demais 128 países atendidos nesses 10 meses sofreram redução de 4,38%,o que fez com que o volume global do período recuasse cerca de 28 mil toneladas (0,77% a menos). Como, porém, ocorreu recomposição generalizada no preço médio, a receita cambial acumulada, agora superior a US$6 bilhões, aumentou mais de 7%.



Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!






NOTÍCIAS RELACIONADAS

NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
ÚLTIMAS NOTÍCIAS











NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE
Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: