Edição 100
10 Anos
Revista do Avisite
Revista do Ovo
Encartes Especiais
Aplicativos
Notícias
Clippings
Informativo Semanal
Informativo Diário
AviGuia
AviSite
OvoSite
Links
Trabalhos Técnicos
Vídeos
Agenda
Cobertura
Legislação
Banco de Currículos
Classificados
Relatórios
Busca Avançada
Contato
Publicidades
Patrocinadores
Assine já
Sexta-feira, 17/11/2017
Siga-nos:
Notícias Clippings Informativo Semanal Informativo Diário
NOTÍCIAS
Novos registros de Influenza Aviária envolvem 4 continentes




Campinas, 01/11/2017 | 08:44

Fonte: AviSite | Autor: Redação

Sem registro de novos casos há mais de três meses, diversos países asíaticos e europeus afetados pela Influenza Aviária começam a se declarar “áreas livres da doença” – como estabelece a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). Mas podem estar agindo precipitadamente, pois a chegada do Inverno no Hemisfério Norte vem fazendo o problema reaparecer.

Quem, por exemplo, acaba de declarar seu país livre da IA é o Ministro da Agricultura da França, onde os surtos de H5N8 iniciados no final de 2016 se estenderam até junho de 2017. Mas dois países fronteiriços – Itália e Alemanha – acabam de registrar novos casos, situação que se repete na Rússia e em Chipre. Na Ásia, quem continua enfrentando sérios desafios com a Influenza Aviária é a China.

Mas a presença do vírus da Influenza Aviária não se resume à Europa e à Ásia. No continente africano ele continua ocasionando problemas em vários países, chamando mais a atenção os casos ocorridos na África do Sul, onde quase uma centena de localidades já registrou casos da variante H5N8.

Diante do agravamento da situação, o governo sul-africano avalia, no momento, a possibilidade de adotar a vacinação preventiva, recurso que não é visto com bons olhos, pois irá afetar as exportações dos produtos avícolas da África do Sul.

Não há dados sobre a extensão dos problemas causados pelo vírus da IA na avicultura local, mas tudo indica que há grandes perdas na produção, porquanto governo e indústria estudam, no momento, a possibilidade de importar ovos férteis para a produção de pintos de corte.

Por fim, há um registro da doença na América Central. O Ministério da Agricultura da República Dominicana reportou à OIE a presença da variante H5N2, caracterizada como de baixa patogenicidade. O caso foi registrado em uma granja de poedeiras (49 mil aves) da província de Espaillat e detectado após queda elevada da postura e aumento anormal da mortalidade.

Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!






NOTÍCIAS RELACIONADAS

NOTÍCIAS MAIS LIDAS
5 dias
30 dias
ÚLTIMAS NOTÍCIAS











NOSSOS PARCEIROS
REVISTA ONLINE
Receba as melhores informações sobre avicultura por e-mail.
Nome:
E-mail: